EM TEU SEIO, Ó LIBERDADE? A ABORDAGEM DA PROSTITUIÇÃO E MARGINALIZAÇÃO FEMININA NAS OBRAS DE INTERPRETAÇÕES DO BRASIL DE GILBERTO FREYRE E CAIO PRADO JÚNIOR

  • Texto

O título do trabalho “EM TEU SEIO, Ó LIBERDADE? A ABORDAGEM DA PROSTITUIÇÃO E MARGINALIZAÇÃO FEMININA NAS OBRAS DE INTERPRETAÇÕES DO BRASIL DE GILBERTO FREYRE E CAIO PRADO JÚNIOR” já é bem provocativo. Afinal, liberdade e feminino trilhados juntamente com a história da construção da interpretação sobre o Brasil e sobre ser brasileiro, é uma trajetória de muita provocação na resistência.

Ao longo dos estudos em Economia Brasileira e também de interpretações do Brasil tentamos conhecer um pouco da nossa trajetória sobre o nosso olhar, mas será mesmo o “nosso olhar”? A discussão abordada nesse trabalho é como se reverbera o nascimento em terras brasileiras da marginalização e prostituição da mulher preta, discutida aqui com arcabouço da obra do Gilberto Freyre e do Caio Prado Jr., o nascimento deste processo e o laço espacial com o presente, afinal: dos filhos deste solo é mãe gentil? A prostituição é um fenômeno complexo que atravessa múltiplas definições, no entanto envolve uma relação marginalizada e mercantil de venda de um corpo predominantemente marcado por um gênero, uma cor e desenvolvida desde o período colonial.

Mudar sem modificar é uma questão muito presente na história brasileira. O trabalho espera despertar e trazer uma questão essencial para a interpretação do Brasil, escondida, velada e amenizada pelos seus intérpretes: a marginalização do corpo preto feminino e o papel de coadjuvante da liberdade dado para determinados grupos, principalmente à luz das obras de Gilberto Freyre e Caio Prado Jr.

 

Acesse o trabalho na íntegra:https://conexaomulhereseconomia.com.br/?page_id=632

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.